Ta, to voltando só to pensando os assuntos novos ainda!


Eu não tenho o direito de escrever esse post. Mas me lembrei q o Duran disse q sempre ia ter lugar para mim aqui.

A anos atrás eu era muito esnobe. Hoje sou só esnobe. Mas percebi coisas novas no mundo. Antes de mais nada, demorei muito até pra pensar em escrever, imagina quanto tempo demorou pra pensar no que escrever. Bem eu pensei em escrever sobre…
Continuar lendo

Anúncios

Pensando Alto


FoxedBox

A verdade é que não existe outro caminho para ser feliz do que agradar a si mesmo, não por que ninguém vai fazer isso por você, mas por que essa é sua responsabilidade. Pensar que as pessoas devem fazer as coisas por você e para você é o primeiro passo pra a insatisfação com a vida e consequente decepção.

Se cada um de nós fosse senhor de seu próprio caminho acabaríamos num mundo melhor, e por incrível que possa parecer, mais unido e compreensível, afinal de contas “nenhum homem é

Imagem

 uma ilha” como diria o poeta. As vezes o melhor modo de melhorarmos o lugar onde vivemos e as pessoas próximas é cuidando de nós mesmos, não se trata de ser egoísta mas sim de ser justo.

Como eu sempre digo, as pessoas só tem aquilo o que elas merecem: quem não tem o que quer não fez por onde…

Ver o post original 116 mais palavras

Sociedade amarrada a um poste.


Disclaimer: O autor do texto gostaria de salientar que é contra a violência e não apoia iniciativas de grupos motivados por ódio racial ou brutalidade policial.

download

Pois bem, ao melhor estilo Walter White, alguns caras prenderam um adolescente nu a um poste, após espanca-lo. Covardia? Ódio racial? Efeito Colateral? Justiça? Creio que talvez mais do que qualquer uma dessas coisas, é um aviso. Um aviso de que o estado não está cumprindo seu dever mais básico: proteger os cidadãos.
Quando digo isso, não falo por pena do adolescente, e nem defendo o ato que foi praticado. O cerne da questão pra mim é muito mais o porquê de atos como esses acontecerem, e isso me preocupa muito.
Eu sou a favor de justiça, mas como diria um certo anti-herói da Marvel Comics : “Nesse caso meu caro, não se trata de justiça, trata-se de punição”. E, infelizmente, eu concordo em partes com o senhor Frank Castle. Concordo que o jovem foi punido. Foi punido pelo estado quando não teve condições sociais que o fizessem optar por outra vida. Foi punido por uma sociedade preconceituosa e elitista. Assim como diversos jovens trabalhadores da periferia são punidos pelo crime de tentar melhorar de vida de modo honesto. Tão covarde quanto surrar uma pessoa e amarra-la a um poste é impedir uma criança pobre de acessar conhecimento, de ter uma educação básica de qualidade. Também é igualmente covarde o ladrão que esfaqueia um pai de família para tomar um celular e uma carteira. Todos são cúmplices de todos esses crimes, e tem dolo igual por cada morte, cada vida interrompida.

Esses crimes, cometidos por grupos de pessoas supostamente revoltadas com a criminalidade, só demonstram o quão maniqueísta somos.

Entenda caro leitor, eu não defendo bandidos, e creio que lugar de bandido é sim na cadeia, e se necessário morto. No lugar de um policial eu não hesitaria em atirar em um sequestrador para salvar uma vítima, e SIM, eu creio que a partir do momento em que o individuo comete um crime, ele automaticamente assume que isso deverá lhe trazer consequências, podendo até acabar com sua vida.
Sendo francos e deixando o politicamente correto de lado, você acredita que bandidos como Fernandinho Beira Mar, Marcinho VP, Marcola e tantos outros são apenas pobres vítimas do sistema? Seria ingênuo demais afirmar isso.
Tendo crescido em uma comunidade pobre, eu pude ver de perto o que é o fenômeno da ausência do estado e da glamorizarão do crime na vida de um jovem sem recursos, e acreditem, ambas são devastadoras.
Vi pessoas próximas a mim se perderem nesse caminho, mas vi também muitos que jamais cogitaram essa hipótese.

Quando o estado some, o crime se instala, e quem sofre com isso?
Sim, o trabalhador.

O que tem medo de sair de casa, o idoso que não tem médicos, a criança sem creche. Todos são ao mesmo tempo vítimas e algozes. Se a sociedade encontra-se no estado de barbárie que está, é por culpa de nosso próprio comodismo. E não adianta sermos levianos ao ponto de dizer que todo criminoso é apenas mais uma vítima do estado.
Existem pessoas boas e más em todos os níveis sociais, e ser humilde não é desculpa para tomar o caminho mais curto pra mudar de vida.
Não me compadeço de um delinquente que foi espancado, mas me preocupo com o pai de família vive em um ambiente onde atos dessas proporções acontecem. O que me preocupa é:  tanto os crimes que os ladrões pequenos cometem, muitas vezes crimes hediondos, quanto a reação exacerbada dos ‘populares’ são indícios de que nossa sociedade tem algo de muito, mas muito podre em seu cerne.
Lembro-me bem de algo que aconteceu a aproximadamente 15 anos na cidade em que morava, e talvez, se passem 50 anos e nunca esquecerei a cena.

Alguns bandidos andavam literalmente aterrorizando o bairro em que eu morava e as cercanias dele. Estupros, latrocínios, furtos e roubos haviam atingido níveis alarmantes. Vários dos participantes desses atos haviam passado diversas vezes pela cadeia, e gozavam da liberdade para cometer toda sorte de atrocidades. Cansado da impunidade, moradores saíram armados as ruas e deram cabo, um a um, semana após semana de praticamente todos os criminosos. Problema resolvido? Muito pelo contrário. A sensação de falta de segurança foi ainda maior, pois agora haviam dois grupos armados se enfrentando abertamente, em uma mini guerra civil declarada e aberta, onde o maior prejudicado foi a própria população.

Enfim, a coisa toda acabou quando o estado finalmente agiu e prendeu diversos integrantes dos dois grupos. Percebam que a ‘justiça’ só ocorreu quando o estado cumpriu seu papel. Mas agora, quase vinte anos depois, a violência continua, pois de nada adianta prender bandidos e não educar as crianças da comunidade.
Não acredito em recuperação plena de 100% dos bandidos, mas acredito que 100% deles devem ser punidos. E creio também que o único modo de crimes como estes não se repetirem, é mudando a mente das pessoas, tirando o ‘jeitinho brasileiro’ da mentalidade dos jovens que futuramente irão comandar o país. A culpa do cara amarrado no poste é dele, por tentar roubar as pessoas erradas, e também do cidadão que admite corrupção, seja ela em qualquer escala.

Não sinta pena de um bandido, ao invés disso guarde sua energia para tentar mudar a sociedade, começando por você! Tenho nojo de quem apenas se interessa em garantir os direitos de um bandido e se esquece de lutar pelos direitos básicos dos jovens honestos, como por exemplo, o direito de ter uma moradia salutar, uma escola boa e um hospital que o trate como ser humano.

Antes de defender o bandido, de xingar a polícia, lembre-se que ambos são consequências do estado que você ajuda a financiar.
Policial também tem família, assim como o bandido também pode ter uma mãe honesta, lembre-se disso.
Antes de chamar o policial militar de ‘porco fardado’ lembre-se de que debaixo daquele uniforme, poderia ser o seu pai, avô, irmão, ou até mesmo você.
Pense. Que melhorias para o mundo você traz ao aplaudir a violência. Seja ela do policial, da população ou do bandido? Antes de defender o direito do bandido, lembre de lutar pelo direito de quem trabalha!
E antes de fomentar ações violentas, lembre-se que poderia ser o seu irmão acorrentado a um poste por ter sido confundido com um marginal.

Cenas do Cotidiano #28 Por que se sofre por amor


UM DIA UMA PESSOA, MUITO SABIA DISSE QUE “SE TE FAZ SOFRER NÃO É AMOR” E SEMPRE ME PERGUNTEI “SE NÃO É AMOR O QUE É?”

Bem pepecos e pepecas, depois de muito pensar e tambem de conversar com amigos e amigas acho que essa pessoa que disse isso tem toda a razão.
O amor não nos faz sofrer, muito pelo contrário, ele nos faz feliz, esquecer todo o sofrimento… Podem falar mal do amor quando se está sozinho mas quando se esta amando ninguem desdenha disso.
Respondendo a pergunta de um modo objetivo, não ser amado faz falta… claro que faz, mas o que mais faz falta é o abraço apertado, o sorriso bobo, o carinho e por que não o sexo? Isso é uma coisa bonita oras! A unica coisa que o amor faz é tornar tudo isso sincero, como uma demonstração de que outra pessoa esta ali ao seu lado por que ela quer estar, por que assim como você ela precisa dessas demonstrações. Quando apenas uma pessoa corre atrás, demonstra que se importa e se faz presente nos bons e nos maus momentos e não recebe o mesmo tratamento não é amor.

IMG_20140202_113446

Então amores e amoras… Ninguem sofre por amor, nem mesmo pela falta dele, por que o que importa são as demonstrações de.amor… Falar “eu te amo” é facil… Dificil é fazer valer a palavra… É suportar os momentos dificeis da outra pessoa, ouvir seus dramas, secar suas lagrimas, acalmar suas angustias e ter que ser forte para ela naquele momento, para que os bons momentos a dois tenham um significado, aquilo que realmente é amar:
Estar sempre um do lado do outro, nos bons e nos maus momentos.

Cenas do Cotidiano #27 (Für ein Hexe)


Eai pepecos e pepecas, esse afro-polaco que vos escreve vai iniciar mais um ano cheio de planos, e embora seja um ano corrido pra mim, pois finalmente estou terminando a faculdade vou tentar manter em dia meus textos… O crescimento do blog me deixou muito contente, mas pretendo junto com os comparsas aqui levar o NTCS mais longe. Agora, vamos ao que interessa.

O texto a seguir escrevi em 2012 nas notas do meu celular, e pelo que me lembro estava muito bravo com duas pessoas em especial por motivos diferentes, e hoje em 2014 ironicamente essas duas pessoas, apesar de eu ainda possuir apreço por elas, já não fazem mais parte da minha vida.

Eu estava fuçando no meu celular excluindo fotos da minha ex-namorada mês passado  e achei esse texto e decidi não apagar, pois como escritor eu trato cada palavra que escrevo como se fosse uma filha, e me deu vontade de trabalhar em cima dele, apesar de estar em forma de poema decidi transformar em uma  especie de crônica:

“Hoje eu acordei e percebi que me perdi no momento em que decidi que não queria mais dormir, embora esteja aqui do meu lado, sei que não sou aquilo que espera, e não importa o quanto eu diga o quanto eu tento você parece não me entender. Eu percebi que andei em círculos, bati a cabeça e dei murro em ponta de faca pra tentar mostrar pra você que nem sempre o que dizem pra você é para o seu bem, mas você não parece confiar no que eu digo.

Hoje eu acordei assim, um poeta sem rima, um sentimento vazio que transformo em palavra, escrevo para esquecer essas coisas que me magoam, pois tenho que me manter forte, não posso ser fraco e me desesperar por mais que seja difícil, devo ser eu a resistir essa noite para lutar amanhã, pois meu vazio acaba quando lembro que vivo, que minhas escolhas são e sempre serão o que me falta para triunfar.

Sou hoje um poeta sem rima, sempre fui um homem sem vaidade, um sonhador e um perseguidor da verdade, posso como sabe e como dizem não ter dinheiro, mas amor para ti nunca faltou e minhas palavras me sustentarão enquanto morrerás pela boca dos outros. Meu vazio é preenchido assim, com amor por ti e ódio por quem é baixo ao ponto de querer mal a quem amo, não há força mais poderosa que os sentimentos que nos movem, e agora que o Sol já vem nascendo e me mostra seu rosto em sono pacifico sei que tenho mais um motivo para lutar, mais um dia mais uma nova batalha.”

Eu acharia uma estranha coincidencia tudo isso, se eu acreditasse em coincidencias, acredito que acontece o que tem que acontecer, seja bom ou ruim e devemos aprender a ver o lado bom de tudo. Por mais que o texto seja muito dramático e exagerado, eu vejo como uma auto afirmação e fez muito bem pra mim lembrar de tudo isso, pois hoje estou colhendo o que foi plantado e tudo isso serve para mostrar que por mais que as coisas sejam dificeis de encarar cabe a nós levantar e lutar, como um amigo me disse uma vez: “OS MORTOS RECEBEM MAIS FLORES QUE OS VIVOS POR QUE O REMORSO É MAIOR QUE A GRATIDÃO. SEJA ESPERTO E USE ISSO QUE SENTE COMO FORÇA NÃO COMO FRAQUEZA.

O crime de ser homem.


Me desculpem as mulheres que lutam pelos direitos iguais, esse texto não é direcionado a vocês.

Esse texto é muito mais um desabafo do que uma crítica, portanto reflete a minha opinião sobre alguns assuntos.
A questão é: ser homem, também é uma porcaria em diversos aspectos. Ser homem é ter que lidar com violências diferentes das cometidas contra mulheres, e muitas vezes, calado.
É mais comum do que se imagina que homens tirem suas próprias vidas em função de problemas de convívio que, por serem tratados como ‘frescura’ ou de forma leviana, acabam por interromper vidas de pessoas com futuros brilhantes. Falo isso por que presenciei a morte de um amigo dessa forma dolorosa, e quando percebi os motivos que o levaram a tais atos, já era tarde demais.

E é para talvez, quem sabe evitar que alguma outra vida seja tirada em vão, para que o sacrífico do meu amigo não tenha sido em vão que escrevo esse texto.

Bem, vamos começar com a infância, e como esse período pode ser terrível para um garoto que não se enquadra nos padrões de ‘correto’ aos olhos das pessoas. Quando se é menino, você aprende desde cedo que algumas garotas usam de privilégios para burlar o sistema, muitas vezes seguindo o exemplo que vem de casa, ou mesmo das autoridades do ambiente escolar do sexo feminino.
Trocando em miúdos: existem crianças dissimuladas, garotas mais velhas que agridem, roubam e torturam psicologicamente os alunos menores, e por vezes, conseguem ser mais cruéis do que os garotos. Vi colegas serem roubados, sofrerem agressões graves e serem humilhados, para depois escutarem que ‘é apenas uma menina, ela não faria isso’ ou ‘você é frouxo, pare de chorar’ ou a pérola ‘ah, mas tapa de mulher não dói’.Tapa na cara dói, seja dado por homem ou por mulher, principalmente quando você não pode se defender, correndo o risco de ser linchado caso leve a melhor. Antes de prosseguir devo deixar claro que não apoio atos de violência, porém condeno ainda mais a passividade, seja do agredido, seja de quem deveria defender seus direitos. Na adolescência eu vi garotas que usavam do corpo para conseguir favores, status e vantagens, e o cúmulo disso foi quando vi uma MÃE de uma garota de 14 anos incentivando a filha a sair com um homem de 25 anos pelo simples motivo do rapaz ter uma caminhonete zero. É aceitável que uma mãe PROSTITUA a filha desse modo? Se fosse um garoto, interessado em uma mulher mais velha apenas por interesse financeiro, seria igualmente tétrico da parte da mãe incentivar tais atitudes.

Ser homem é por diversas vezes carregar o fardo de ser o arrimo de uma família, de ser o ponto de equilíbrio que nunca pode fraquejar, e ainda assim, mesmo honesto e sendo justo, ser julgado como culpado antes mesmo de ter o direito de defesa. Ser homem muitas vezes é presenciar agressões aos seus amigos e ter que fingir normalidade, é ter sua natureza castrada para se enquadrar nos padrões e ainda assim ter que escutar que o seu gênero é o culpado por todos os males do mundo, mesmo que seu maior crime tenha sido trabalhar 13 horas por dia para ajudar a família.
Ser homem é ter 17 anos e não conseguir emprego porque ninguém quer contratar alguém que está em idade de alistamento militar, é ter que em 90% dos casos de separação perder a guarda dos filhos, é saber que provavelmente irá viver 7 anos a menos (em média) e contribuir cinco anos a mais para a previdência. Uma mulher que diz que todo homem é estuprador, que nenhum homem presta e que a misandria é uma conduta aceitável, é tão estúpida e cega quanto alguém que julga que todo negro é bandido, ou que todo muçulmano é terrorista.

Existe um exercício de inversão de papéis que normalmente demonstra o quanto nossa sociedade é estupidamente babaca ao tratar com as mulheres que muitas vezes não é utilizado para julgar o quanto pode ser cruel o tratamento ao uma criança do sexo masculino.

Imaginem a seguinte cena: Um garoto esbofeteia o rosto de uma garota 3 anos mais nova sem motivo aparente e todos riem. A garota, humilhada, pede por ajuda, e nesse momento ouve gritos de “covarde”, “frouxa”, “chorona”. Após isso a garota tenta chamar ajuda de uma autoridade escolar e ouve daquele que deveria ser o responsável por sua segurança “Ah, mas foi só um tapa, você é forte, nem doeu, e se voltar aqui eu vou chamar os seus pais na escola”. A garota então cresce com o sentimento de culpa por ser mulher, cresce ouvindo piadas sobre porque não é alta e forte como as outras garotas, ou, porque não joga futebol tão bem. E na fase adulta, essa garota, agora mulher leva um golpe da pessoa em quem confiou. Seu marido casa-se com ela com o único intuito de após a separação, tomar-lhe os filhos e receber 30% do seu salário pelo resto da vida. Cruel não?
Agora troque os gêneros, e lembre-se de quantas histórias parecidas você já presenciou, e tente pensar como seria terrível ter de passar por situações como as citadas acima. Meu objetivo não é nem de longe dizer que não devemos lutar pelos direitos das mulheres, seria muito boçal e ingênuo da minha parte. Mas a questão é que não consigo simplesmente me rotular como ‘feminista’ ou ‘machista’.

Sou homem, sei na pele o quanto a sociedade pode ser cruel, e sinceramente, nunca saberei o que é a dor de um parto, mas sei que humilhação não escolhe gênero, suicídio não é menos doloroso porque é um homem morto e , algumas vezes, o idealismo e a vontade de fazer podem nos cegar para os problemas que consideramos triviais, mas que, se receberem a devida atenção, podem salvar vidas, seja qual for o sexo/gênero.
Adaptando o que M. Luther King pregava, tenho um sonho em que nenhuma criança, garoto, garota, branca, negra, seja julgada por sua natureza, onde não exista a “culpa genética” atribuída a um gênero, seja ele qual for. Mas enquanto as pessoas continuarem a olhar sofrimentos com dois pesos e duas medidas, enquanto continuarmos achando que a dor alheia é menor do que a nossa, não haverá igualdade. Enquanto o ódio do oprimido for desculpa para oprimir e o medo do opressor for desculpa para torturar o diferente não teremos paz.
Minha luta pessoal é para que mais mortes como a do meu amigo não ocorram, ou que pelo menos elas sirvam de lição para que o sofrimento desnecessário seja evitado.

Web série dos Power Rangers, pezinho na realidade e música do Changeman


Não é nenhuma novidade em primeira mão mas eu achei tão legal, que decidi compartilhar aqui. Web série comemorando os 20 anos de Power Rangers (Que foi comemorado ano passado), porém esse é um blog sobre cotidiano, não sobre notícias não me julguem!

Pelo jeito, eles tentam dar uma atualizada colocando um pezinho na realidade nos Rangers. Porém eu tenho CERTEZA que muita coisa vai ser completamente absurda, o que NÃO TIRA O MÉRITO  da série/filme (Não tenho certeza), desde que se fala em filmes e séries “pé no chão” que eu vejo hater gritar: “Ai, mas é impossível que aconteça isso mimimi tirou a realidade!!”

Caras, entendam: é um “pezinho na realidade”. É só pra não deixar o conteúdo retardado, por que nosso nível de credibilidade não é o mesmo dos anos 90.
MAS cinema e série AINDA pode ser fantasia. Poxa não fique analisando, aproveite as coisas.
Nós eramos mais felizes na infância, não pelo conteúdo da época que era “melhor”, as coisas ainda tem o mesmo nível de qualidade, a gente que se esqueceu de como se  aproveitam as coisas.

Vai lá, senta no sofá, pega uma bolacha e aproveita.

“Igual de Hominho”


"Igual de Hominho"

“Igual de Hominho”

Li a notícia do garoto expulso da sua escola por ter o cabelo “muito grande”. Aí me deparo com o comentário acima, o que me faz ver do que é constituída nossa sociedade… De um bando de “Do contras” que se acham superiores, por ser um cidadão padrão e direito (Isso segundo a cabeça deles, lógico…)

O mesmo tipo de pessoa que condena as manifestações por que “Há vândalos”, por que “Atrapalha o trânsito”. O mesmo tipo que acha que mulher que andou de roupa curta “pediu pra ser estuprada”, o mesmo tipo que faz de tudo pra que a sociedade continue burra do jeito que está por que tem medo do que possa acontecer se o seu mundinho for desconfigurado.

O Cabelo do menino propaga piolhos? Por ser crespo? Por que na foto do filho do indivíduo acima, mostra que o filho dele não tem cabelo curto. Mas no caso de cabelo liso tudo bem não é? Por que é “cabelo bom”.

A realidade dos fatos é que O MUNDO É CRUEL SIM, isso deve ser passado para as crianças, porém devemos criar adultos que sejam a MUDANÇA NO MUNDO e não só mais um moldado pelo pensamento coletivo, que sentirá asco dos que são diferentes dele, que protegerá a “Moral e os bons costumes”.

“Igual de Hominho” ou “Igual de branquinho?”

Não acho que seja superproteção criar uma criança que não tem vergonha do que ELA É. Que fará de tudo para deturpar-se só para ficar parecido com o “Cidadão de Bem padrão”.
To cansado desse pensamento podre, que acha que Preto é feio e ladrão.
Essa sociedade que acha que os gays são promíscuos e aidéticos, que acha que a mulher deve ser uma boa mãe, dona de casa e somente isso. Que condena todo aquele que desviar-se do padrão.

Que a sociedade, ou as instituições tem regras tudo bem, quando são regras comportamentais. Ao tentar segregar alguém por sua aparência, e ensinarmos isso para crianças, estaremos criando adultos medíocres, que julgam o livro pela capa.
Adulto medíocre como esse, que fez o comentário.

Cenas do Cotidiano (Salve Madiba)


Eis um exemplo de algo que eu e os demais colegas aqui do NTCS repetimos exaustivamente, e que por que não milhões também pensam como ser o correto: a luta por igualdade. Madiba não lutou pelos negros  contra os brancos, ele lutou com seres humanos tratados como animais por seu direito de serem iguais, de pisar no mesmo chão, respirar o mesmo ar que um outro ser humano que se julgava especial, diferente, superior.

Um exemplo que deve ser seguido por todos nós, afinal somos todos diferentes um dos outros, porém somos todos uma coisa: humanos, as diferenças que aparentemente são gritantes como cor da pele, formato do cabelo, opção sexual, como enxergamos, a nossa capacidade cognitiva e de inteligencia, tudo isso é muito pequeno, são moléculas e ás vezes um único átomo que muda. De fato, é fácil falar em lutar pela igualdade sem citar as diferenças que existem entre nós e que a prática é dificil, mas o fato é que mesmo assim continuamos todos iguais, biologicamente mesmo que você diga que o “homem não veio do macaco”e espiritualmente mesmo que você não acredite em alguma divindade.

Mestre Duran nos pôs como culpados de tudo isso na ultima publicação e eu concordo, e acrescento que é o maior do falso moralismo lutar pelos direitos daqueles que você considera como seus iguais e esquecer dos que são diferentes de você, historicamente e evolutivamente sabemos que isso não dá muito certo, ou vocês acham que õs nossos ancestrais primitivos morreram de velhos e chegamos depois, claro que levamos eles à inexistência por querermos defender aquilo que achávamos certo para nossa especie.

Então é a natureza humana ser egoísta e se dividir em grupos que se consideram diferentes e ou oprimidos/superiores? Não, essa não é a nossa natureza, fazemos isso justamente por medo do que é novo e diferente, não é uma questão de aceitação, você pode aceitar que eu existo mas isso não quer dizer que me compreende, ou que me considera importante. E é isso que gostaria de dizer a respeito de Madiba, pois ele é a prova e o exemplo de que a nossa natureza não é essa, não somos ruins, e questionar isso é afirmar o quanto nenhum de nós merece pisar nesta terra.

Ele compreendeu e sabia do que acontecia em todo seu continente, negros se revoltando contra seus colonizadores e destruindo seu pais com guerras civis e no final sempre procuravam diferenças tribais e gerando mais e mais guerras e tudo o que resta para eles é fome, miséria, doenças e mais guerra, o mundo que conhecemos foi criado assim e ele compreendia que a busca por igualdade passava sim pela luta e sim talvez com armas, mas que sempre houvesse um diálogo sério sem troca de ofensas, podemos aceitar as diferenças mas isso não muda nada pois não queremos compreender e compartilhar.

A internet hoje é um reflexo do mundo que vemos e aos poucos ela influencia cada vez mais ele, certo que na internet todos pensam que sabem tudo sobre aquilo que ele odeia quando na verdade ele é o que menos compreende tanto o objeto de seu ódio quanto a si mesmo. As pessoas só exteriorizam a guerra que existe dentro delas, o ódio é algo gostoso de sentir de distribuir pelo mundo… “ah eu fui muito zuado por ser nerd então eu vou pisar em cima daqueles que colocavam minha cabeça na privada, vou tratar todos como lixo quando for alguém importante”, NÃO CARALHO TÁ ERRADO?!

Justamente por sermos diferentes por sermos inteligentes é que devemos usar isso para criar um mundo onde não exista mais sofrimento PARA NINGUÉM!! É um dom, por que acham que Einstein, Lavoisier e outras grandes mentes são lembradas e cultuadas até hoje? Por que inteligencia todo ser humano tem, porém a capacidade de tornar ela realmente útil para todos é o essencial, é o diferencial.

Aproveite e olhe um pouco mais para Madiba, siga seu exemplo e deixe de ser um babaca falso que diz que defende a igualdade segregando.

Grato.

Somos todos culpados


A culpa de nossa sociedade ser tão desigual e injusta é de cada ser pensante que habita este pequeno grão de areia num canto escuro do universo. Hoje a moda é culpar o homem moderno e a sociedade patriarcal, antes a de toda e qualquer mazela era atribuída ao comunismo e seus ditadores. Não estou defendendo nem de longe que sexismo e regimes totalitários estão corretos, vão contra meus princípios básicos como pessoa, mas o que me ocorre é que, de certa forma, nos acostumamos a colocar a culpa no outro, nunca assumir que cada um de nós tem sua parcela de culpa perante a sociedade. Somos filhos de uma geração que viveu os anos de chumbo da ditadura, mas também somos a primeira geração onde casos de bullying tiveram atenção. O estranho é que invariavelmente os casos de bullying demonstram que o agressor vem de uma família onde a moral é deturpada, e o que ele reproduz nos colegas mais fracos é o apenas o reflexo do que vivencia em casa. Homens violentos que abusam de álcool e não respeitam a unidade familiar, mães sem caráter que usam de chantagem emocional e praticam violência doméstica são o exemplo perfeito para gerar uma pessoa desequilibrada e cruel. Culpamos a mídia, o governo e as relações por meio da internet, mas a culpa no fundo é mesmo de cada um de nós.

A culpa é do straight edge que burla o sistema para não pagar por jogos, da vegan que compra droga na boca, da misândrica que defende direito iguais mas esquece de cobrar por deveres iguais, do professor que reclama do aluno mas não prepara aula, do funcionário público que reclama do salário mas faz corpo mole ao atender a população. A culpa é do militante do PSDB que põe a culpa no PT, assim como também é do militante do PT que culpa o tucano, quando ambos claramente buscam o interesse próprio (leia-se: do partido) e não o interesse da população. Também é do negro que sofre preconceito mas é xenófobo, do gay que exige respeito mas tem preconceito com outros homossexuais que não se enquadram no padrão dele do que é aceitável. Apesar de seu julgamento altamente fascista, o Cap. Nascimento não está completamente errado quando diz: “Quem matou esse cara foi você, seu merd@!”, pois no final a culpa da violência também é do viciado que financia, da mãe que faz vista grossa, do pai que se omite, do poder público que não faz seu papel e de cada um de nós que reclama de todos, mas não tem coragem de consertar os próprios erros. Carpe Diem, Nerds!

Creditos na imaagem